sexta-feira, 25 de maio de 2012

Relato da nossa Aventura pela GR22, Grande Rota 22, homolgada em1998, designada pela Rota das Aldeias Históricas de Portugal:Cá vamos Nós!! Yupiiii!!!
Uma Viagem, Um Sonho perdidos no tempo, sobrevivendo durante 8 dias na Rota das Aldeias Históricas de Portugal.
Ponto de Encontro: Celorico da Beira

1 Dia
21-04-12
 Albufeira-Lisboa-Celerico da Beira / De Bike até Linhares da Beira.
15 Km
   Partida de Autocarro de Albufeira pelas 2 da manha, atê Lisboa, pelas 8 Horas mudei de Autocarro com Destino a Celerico da Beira onde encontrei o meu tio para inicio de mais uma Loucura. Depois de montar a Bike e o atrelado, com o tempo muito Nublado seguimos de Bike atê Linhares da Beira, onde fomos falar com o Presidente da Junta de Linhares da Beira, que disponibilizou uma casa para a primeira Noite. Neste dia fizemos 15 Km, em Estrada, e passamos a noite no bar da Associação, confraternizando com a população local.
Confraternização C/ Malta BTT Linhares
Linhares da Beira - Aldeia Perdida 
Esta foi a Primeira Aldeia Histórica de Portugal que visitamos, inserida na Gr 22, Rota das Aldeias Históricas de Portugal, considerada a Capital do Parapente, onde fomos bem recebidos pelo Presidente da Junta e seu Secretário.O Castelo construído em 1291, no reinado de D.Dinis, em cantaria de granito está assente num majestoso maciço rochoso, também granítico.  Por esta pequena aldeia, já passaram milhares de Turistas, de salientar as visitas de Suas Excelências os Senhores Presidentes da República: General António Ramalho Eanes ; Doutor Mário Soares e Doutor Jorge Sampaio. Visite Linhares da Beira, e contemple as casas, ruas, castelo de 1291, assente num maciço Rochoso. Visite o que é nosso e conheça os lindos sítios perdidos no interior, e as suas Gentes.


Soberbo Castelo Sobre Maciço Rochoso

Castelo Linhar da Beira


Alojamento em Linhares Beira


Inicio de um Sonho, Gr 22

 
2 Dia 22-04-12
Linhares da Beira - Vide (11 Km de Piodão)
90 Km


 
Gds Subidas a Pé / Serra da Estrela

É verdade, nosso objetivo era chegar a Piodão, mas foi impossivel, subir, subir subir Serra da Estrela, por caminhos de Terra onde o frio começava acentuar, etapa muito dura, sem encontrar nada, nem um cafê. Este dia foi essencialmente subidas e descidas, nestes primeiros dias já esperevamos etapar muito duras psicologicamente e fisicamente, e ainda por cima tinhamos o atrelado e alforge bem carregado pois havia que  transportar comida para auto suficiência durante pelo menos 3 dias, pois já sabiamos que não iriamos encontrar, nada para malta comprar. Ao final do Dia conseguimos chegar a um Cafê a Vide, 11 km de Piodão. Nesta Noite pernoitamos num Palco de Festas em Vide. A noite passamos num cafê confraternizando mais uma vez com a malta do sitio :-). "você têm um sotaque esquisito"" hihihi.



3 Dia 23-04-12
 Vide - Piodão - S.J. da Beira
43 Km

Posto Turismo Piodão

Almoço em Piodão!Ai mhs Sapatilhas BTT

Igreja de Piodão



Subidas Infernais
Uiiiiii, outro dia terrivel, muita chuva, lá seguimos em direcção a Piodão, para fazer 11 km, levamos umas 5 horas, seguimos sempre o Gps, pois as marcações são escassas, e ke subidaas meus Deus, algumas nem eu conseguia levar a Bike a Mão, tive de pedir ajuda ao meu tio, nós os dois a empurrar a minha bike pela subida, depois voltamos atrás, dois juntos a empurrar a bike dele e Piodão nunca mais chegava aiiiiiiiiii, só na hora de almoço fomos BRINDADDOS com a Beleza de Piodão.

Descida Diabólica por este trilho

As únicas pessoas que encontramos a realizar a Gr 22

Malditas Ribeiras
 A aldeia, de Piódão com 178 residentes, situa-se numa encosta da Serra do Açor. As habitações possuem as tradicionais paredes de xisto, tecto coberto com lajes e portas e janelas de madeira pintada de azul. O aspecto que a luz artificial lhe confere, durante a noite, conjugado pela disposição das casas fez com que recebesse a denominação de “Aldeia Presépio”. Toda esta aldeia construida com paredes e telhado de Xisto. A Igreja Matriz do Piódão, situada na praça principal, é o elemento que mais se destaca do cinzento da aldeia, pintada de azul e branco. Datada do século XVII, a sua fachada foi reconstruída no século XIX ao estilo neoclássico.
 Esta Etapa  foi muito dura, com subidas e descidas acentuadas, entre as serras do Açor, da Lousã e da Estrela mas  vale a pena o esforço dispendido, as suas casas em xisto, envolvidas na paisagem circundante, são de uma beleza invulgar, piscinas naturais. O mau tempo acompanhou-nos, estivemos confraternizando com a população local e com pessoal do Posto Turismo  no Cafê. Foi neste cafê em Piodão, na nossa hora de almoço que deixei queimar na Lareira os meus belos sapatos de BTT.
Durante a tarde subimos, subimos, subimos até as Antenas, uiiiiiii, nunca tive tanto frio, tremi por todo lado, quando chegou a parte da descida o Gps indicou-nos a descida da serra por dentro de uma pequena rego cheio de agua, nem quis acreditar, onde estavamos metidos. Descemos, descemos e Castelo Novo Nada, teria de ficar para o dia seguinte. A noite começou a cair e ficamos  em S.J. da Beira.



4 Dia 24-04-12
 S.J. da Beira - Povoa da  Atalaia (7 Km depois de Castelo Novo)
45 Km


Rota das Antenas hihi
Castelo Novo

Atacamos a serra da Gardunha, mais parecia a Rota das Parabólicas, das Antenas, estava a ver que nunca mais desciamos serra abaixo.
Depois do almoço, lá fomos em direcção a próxima Aldeia Histórica, sempre em caminhos terriveis, até S.J.Atalaia, 7 km depois de Castelo Novo.





5 Dia
25-04-12
Povoa da Atalaia - Monsanto
78 Km

Estadia Casa do Povo de Monsanto
Partimos S.J.Atalaia e fomos visitar mais uma Aldeia Histórica, Castelo Novo, erguido sobre um afloramento rochoso na vertente leste da chamada serra da Gardunha, constituía-se no pólo militar em torno do qual se desenvolveu a povoação de Castelo Novo, sucessora da de Castelo Velho, no topo da serra. Castelo Novo, atualmente, integra o Programa Aldeias Históricas.Esta etapa de Castelo Novo foi bastante exigente fisicamente, dada a altimetria com variações acentuadas, a distância elevada e também porque o piso tem muita pe­dra.
Depois desta visita, voltamos atacar a Gr22,  próxima Aldeia Idanha Velha, é uma pequena aldeia que parece adormecida entre os oliveirais mas cujo passado histórico teve uma importância testemunhada pela catedral e pelas inúmeras ruínas, transformando-a num museu ao vivo. Idanha-a-Velha pequena aldeia de ambiente pitoresco, pelo notável conjunto de ruínas que conserva. ocupa um lugar de realce no contexto das estações arqueológicas do País. Ergue-se no espaço onde outrora existiu uma cidade de fundação romana (séc. I a.C.),  diz-se que foi aí que nasceu um rei visigodo, e a velha catedral, restaurada no início do século XVI, ainda conserva pedras esculpidas e inscritas do tempo dos romanos. Vale a pena admirar a Igreja Matriz renascentista, o pelourinho do século XVII e as ruínas da Torre dos Templários.
Museu Lagar Proença Velha
 Depois de visitar esta pequena Vila rumamos para Monsanto. Estavamos a 7 km de Monsanto mas o nosso Gps, levou-nos para uns Trilhos, Chuva e mais Chuva, fizemos vinte e tal km para chegar a Monsanto, e por alcatrão eram 7 Km aiiiiiii. Mas a calçada Romana para entrar em Monsanto, com a chuva sp a cair, será um momento inesquecivel.
Chegamos a esta Magnifica aldeia atravês de uma estrada Romana, escorregadia, com intenso nevoeiro, durante 30 minutos tivemos de transportas as Bikes a Mão devido a forte inclinação aiiiii.
Mais um Almoço em Casa de Desconhecidos
 Em 1938, esta Aldeia foi  escolhida  como aldeia mais portuguesa de Portugal,  empoleirada numa encosta granítica, as casas surgem apertadas entre enormes penedos, com minúsculos quintais e hortas separados por muros de pedra e ladeiras talhadas na rocha viva e que se fundem com ela. O castelo começou por ser um castro lusitano, depois restaurado pelos romanos, e sofreu uma longa história de combates e cercos. Tudo na aldeia foi cuidadosamente preservado, venha conhecer a Aldeia mais Portuguesa de Portugal. No dia Seguinte seguimos para Sortelha, aproximadamente 70 km sempre em terra. Visite a Aldeia mais Portuguesa de Portugal.
Em Monsanto a Chuva e o Nevoeiro marcaram a noite, onde ficamos numa Antiga Casa do Povo.

6 Dia 26-04-12 
Monsanto-Sortelha
74 Km


 
Muralha Sortelha
 
Sortelha lindooooooooo :-)
 Neste dia partimos com muito nevoeiro, chuva e frio, (ai sol do meu Algarve onde andas), direcção a Sortelha, principal obstáculo foi passar as ribeiras, e caminhos ke pareciam autênticas ribeiras, chuva, mais chuva. Ao final do dia o tempo melhorou um pouco, as bikes começaram a dar alguns problemas devida a agua e lama que fomos apanhando no percurso.
Chegamos finalmente a Sortelha,LINDOOOOOO pernoitamos dentro das muralhas, pequena aldeia de pedra, rodeada de muralhas, dentro das muralhas encontram-se umas 100 casas mas só vivem lá uma dezena de pessoas. Por incrivel que


pareça, ao longo dos anos conseguiram mantêr as estradas de pedra, casas de pedra, as muralhas, castelo, belo pelourinho e a igreja matriz. Segundo a população local no ano passado foi realizado uma feira mediaval com grande êxito que se repetirá este ano em Setembro. Sortelha foi a nossa grande supresa das aldeias históricas. Bela Supresa esta Aldeia Histórica. Durante esta noite tivemos reparar a minha bike, a bicha partiu-se. Nesta noite ficamos numa Confraria, dentro das Muralhas, sensação estranha, saimos a noite, parecia que estavamos sonhando, vivendo outra êpoca, muito estranho e bastante agradável.





 
Grande Molha em Sortelha




Nossa estadia em Sortelha
  7 Dia: 27-04-2012
Sortelha - Castelo Mendo - Almeida
100 Km



Uma das Entradas  de Almeida
Da manha la fomos com a casa as costas, sp devagarinho, média 7 / 8 km por hora, falando com as pessoas e tirando fotos pelo caminho, saboreando os locais e as pessoas :-). Durante o caminho consequimos encontrar uma oficina de Bikes, onde estivemos 1 hora para eles repararem o meu Pirolito, que teimava em não pôr mudanças.
Malditos vales, o Gps, sobe e desce e finalmente chegamos a mais uma aldeia Histórica de Portugal, Castelo Mendo, com dois recintos muralhados mediavais, constitui uma conjunto patrimonial de maior interesse, junto ao vale do rio Côa, em 1297 foi a primeira linha de defesa (tal como Sortelha), do reino de Leão e Castela. Eleva-se a 721 metros de altitude, coroando um cabeço granítico rodeado pelo fundo vale do Côa. A aldeia continua amuralhada, tal como estava quando o rei D. Sancho I a mandou erguer em princípios do século XIII. Mantêm-se no interior uma série de igrejas, umas em ruínas, outras bem conservadas, sendo curiosas as representações do lendário alcaide Mendo e da sua mulher, Menda, carrancas colocadas na fachada de duas casas vizinhas. Perto um pequeno mas curioso museu rural e etnográfico (Museu do Tempo e dos Sentidos). Lá no alto, os restos de uma igreja românica e de uma torre de onde terá bela vista de conjunto sobre a aldeia e a paisagem envolvente.
Furo Rodinha do Atrelado
Tivemos somente uma hora de visita a Castelo Mendo, pois queriamos pernoitar em Almeida. Tivemos de fugir de um pequeno cafê de Castelo Mendo onde os habitantes teimavam em brindar a nossa presença com Amarguinha. Belas Gentes, mas tivemos de partir e ao final do dia lá chegavamos a mais uma Aldeia Histórica, ALMEIDA.


Confraternização Castelo Mendo
Finalmente chegamos a Almeida, onde a Presidente da Junta de Freguesia de Almeida, nos recebeu de braços abertos, e levou-nos ao mundo mágico, foi uma visita guiada a pé pelos principais pontos de Almeida, relatando velhas históricas e apresentado de uma forma notável os Monumentos. De enaltecer que esta aldeia, é diferente de todas as outras aldeias históricas da Rota de Portugal, pois é uma Vila fronteiriça extremamente bem preservada, notável pelas suas construções defensivas em forma de uma estrela de doze pontas. Estas fortificações (erguidas no estilo de Vaubon, arquitecto militar de nacionalidade francesa) eram características de um período (séculos XVII e XVIII) em que as guerras eram travadas com estrepitosas armas de fogo. A fortaleza foi construída em 1641, depois de os espanhóis terem destruído as anteriores defesas que protegiam a vila e o seu castelo medieval. Em 1810, durante as invasões francesas, uma explosão nos paióis fez ir pelos ares a torre de menagem e abriu grandes brechas nas muralhas. 
Em 1844, o insurreto Regimento de Infantaria de Torres Novas protege-se nas arruinadas fortificações de Almeida, sendo cercado e derrotado por alguns corpos de tropas nacionais.A planta da fortaleza desenha um hexágono reforçado por seis baluartes e seis panos de muralha com revelins. O sistema é completado com canhoneiras, plataformas e bastiões de flanco, protegendo os cerca de 2500 metros do polígono defensivo.
Casa do Castelo Sabugal, único Castelo de 5 Quinas em Portugal
Oficina de Bikes, Aquecimento
 Deste modo, a vila de Almeida fica protegida por sólidas muralhas de cantaria, rodeadas por fossos e estradas cobertas, por detrás das quais se estendem praças de armas e esplanadas, casamatas abobadadas, quartéis e outros edifícios militares. A comunicação com o interior da fortaleza é estabelecida por várias portas, com realce para as de S. Francisco e de Santo António, que eram transpostas por pontes levadiças em madeira, agora convertidas em pontes de alvenaria.
Deste modo, a vila de Almeida fica protegida por sólidas muralhas de cantaria, rodeadas por fossos e estradas cobertas, por detrás das quais se estendem praças de armas e esplanadas, casamatas abobadadas, quartéis e outros edifícios militares.




Pessoas do Interior = 5 Estrelas
 A comunicação com o interior da fortaleza é estabelecida por várias portas, com realce para as de S. Francisco e de Santo António, que eram transpostas por pontes levadiças em madeira, agora convertidas em pontes de alvenaria
Deste modo, a vila de Almeida fica protegida por sólidas muralhas de cantaria, rodeadas por fossos e estradas cobertas, por detrás das quais se estendem praças de armas e esplanadas, casamatas abobadadas, quartéis e outros edifícios militares. A comunicação com o interior da fortaleza é estabelecida por várias portas, com realce para as de S. Francisco e de Santo António, que eram transpostas por pontes levadiças em madeira, agora convertidas em pontes de alvenaria
Hoje, ainda é possível visitar as casamatas dos soldados, subterrâneas, e também a sala de armas que recorda a rica história militar de Almeida. Visite Almeida e garanto que ficará supreendido com as Muralhas de cincundam a Vila; Largura e comprimento das Entradas da Vila; As Falsas entradas e também pela enorme vala. Muito Obrigado a Presidente da Junta por esta Visita Guiada.
8 Dia 28-04-12
 Almeida - Castelo Rodrigo - Marialva - Mêda
95 Km

Aldeia Histórica de Marialva
Depois de Almeida, seguimos direção Castelo Rodrigo, neste dia somente ao final da tarde é que a chuva abrandou, nunca na minha vida,  apanhei tanta agua em cima e frio como nestas fêrias aiiiiiiiiii, inumeras vezes pensei no sol do meu cantinho do Algarve. Lá pedalamos a Chuva atê chegar a CASTELO RODRIGO,  Aldeia medieval, erguida no topo de uma colina isolada, a 820 metros de altitude, oferece uma esplêndida vista sobre os campos e serras em redor. Esta antiga vila fortificada, totalmente recuperada no âmbito do Programa de Recuperação de Aldeias Históricas, guarda vestígios de ocupação humana que remontam ao Paleolítico. Ainda que a sede do município tenha passado para Figueira de Castelo Rodrigo, a povoação continua a apresentar sobejos motivos de interesse, tais como a igreja matriz, fundada pelos frades hospitalários em 1192 e dedicada a Nossa Senhora do Rocamador; a cisterna, servida por duas portas, uma gótica e outra mourisca; o pelourinho e o relógio instalado sobre um antigo torreão. Já as ruínas do castelo revelam a raiva da população quando, no final do reinado de Filipe II, incendiou o antigo palácio de Cristóvão de Moura, um dos defensores da legitimidade espanhola por terras lusas. Depois de uma visita rápida lá fomos para Marialva.
Posto de Tursimo de Marialva, onde Carimbamos Credênciais

Parque Campismo de Mêda - Consultorio Médico
Nossas Companheiras, ofereceram-nos Comida em Marialva

Em Marialva o tempo parou num século longínquo. É essa a sensação que se tem quando chega a esta pequena aldeia do concelho de Mêda, classificada como uma das doze históricas de Portugal. Hoje sobram-lhe cerca de 200 habitantes, na sua maioria idosos. A escola, da primeira à quarta classe, é frequentada apenas por cinco alunos. E não é preciso estar-se muito bem informado para se saber quantos imigrantes, que em tempos partiram em busca de um sonho, decidiram este ano ficar de vez em Marialva.
Uma aldeia de encantos, a fazer lembrar um daqueles quadros que as avós costumam guardar religiosamente na sala de visitas das suas casas. Uma aldeia de encantos, a fazer lembrar um daqueles quadros que as avós costumam guardar religiosamente na sala de visitas das suas casas.  Adoramos Marialva, adoramos as gentes, mas chegamos a conclusão que não podiamos parar muitas vezes, pois em cada paragem, ficavamos muito tempo a falar com as pessoas, comer etccccc.....
Depois de Visitar Marialva, subimos mais um pouco, até ao Parque de Campismo de Mêda onde fomos mais uma vez bemrecebidos, pernoitamos no posto médico do parque campismo, sala comar condicionado e tudo, muito obrigado Sr. Armando.




9 Dia
29-04-12
 Dia Mêda - Celerico da Beira
(77 Km)





Bombeiros Celorico da Beira
 Último dia da nossa Aventura pela Rota das Aldeias Históricas de Portugal, de regresso a Celerico da Beira, acabavamos assim a volta ao Maciço da Serra da Estrela. Rota pelo Interior de Portugal, Rota que caiu em esquecimento, envelhecida e perdida no tempo, lá chegamos ao nosso ponto de partida, 8 dias depois. E Agora, qual a próxima Aventura??????? Cá vamos para Viseu, para Participar na inauguração do NOVO CAMINHO DE SANTIAGO COMPOSTELLA PELO INTEIOR DE PORTUGAL :-).














Balanço desta Aventura pela Rota das Aldeias Históricas de Portugal

- O mais precioso que encontramos, foram as pessoas, nos acolheram calorosamente, sem nos conhecer de lado nenhum, cada paragem que fizemos, tinhamos grande dificuldade em partir novamente, ofereciam, comida, bebida, casa, etc...


- Lugares que se mantêm intactos, ao longo dos anos, tudo em pedra, trilhos, casas, tudo, tudo.....


- Desertificação: a maior parte da população, é idosa, as aldeias têm poucos residentes e com a nova lei, irão acabar a maior parte das freguesias, esquecendo o forte papel que estas desempenham nestas pequenas localidades.


-O mau tempo, Chuva e o Frio foram os principais adversários desta Aventura, nunca tinha apanhado tanta chuva, nem tanto frio na minha Vida.


- Sinalização da Gr22 praticamente inexistente, nossa salvação foi o Gps, que por imensas vezes apontava por caminhos que já não existem.


- Percursos demasiados dificeis entre Linhares da Beira, Piodão e Castelo Novo.


-Gr22 esquecida, será que este será o Futuro da Via Algarviana? Gr 13?


-Total Percorrido: 617 Km.


- Se voltar a fazer, não seria no final de Abril, devido ao frio e a Chuva, e também sem a casa as costas, pois torna-se demasiado dificil.


-De realçar que apesar das imensas dificuldades fisicas e psicológias, fomos sempre na brincadeira, cantanto e na macacada sob imenso frio e chuva:


Nosso Dopping
- Exageramos com o nosso Dopping





Sem comentários:

Publicar um comentário